Será privatizado “tudo que for possível”, reforça programa de Temer

Temer nem começou a governar e já fez muito mais do que Dilma

michel_temer.png
Foto: reprodução

Hícaro Teixeira – 29.04.2016

Michel Temer nem começou o seu governo e já compreendeu os principais pontos para tirar o Brasil do atoleiro. Nessa semana, ele apresentará mais um documento que servirá de base para o seu eventual governo, apontando a saída para a melhoria do quadro econômico e social do país: “A travessia social”, programa que defende firmemente as privatizações e concessões, dando prioridade à iniciativa privada, conforme noticiou o jornal O Globo.

Essas são algumas reformas que Dilma Rousseff teve inúmeras chances de fazer, mas que preferiu privilegiar a corrupção institucionalizada pelo PT. Só o fato de Temer apresentar o texto, ao mesmo tempo já vem convencendo os empresários, que aguardam o impeachment de Dilma.

De acordo com o texto do governo Temer, “o Estado deve transferir para o setor privado tudo o que for possível em matéria de infraestrutura. Quanto às competências que reservará para si, é indispensável que suas relações com contratantes privados sejam reguladas por uma legislação nova, inclusive por uma nova lei de licitações. É necessário um novo começo das relações do Estado com as empresas privadas que lhe prestam serviços”.

Já para área social Temer reitera a manutenção de todos os programas criados nas gestões petistas, como Bolsa Família, Pronatec e Minha Casa, Minha Vida.

A esquerda brasileira e seu cheiro de naftalina

Chegou o momento de abandonarem o rasteirismo e o discurso jurássico

 

Hícaro Teixeira29.04.2016

Passou da hora da esquerda começar a encarar a realidade como é, e reconhecer que foi usada como massa de manobra durante esses anos para alimentar o lulopetismo. Esse é o momento do toque de recolher. Momento de rever todos os erros ao invés de apoiarem o rasteirismo – alegando que Dilma Rousseff sofre um “golpe”.

O petismo e as demais correntes populistas da América-Latina evocam o discurso jurássico de demonizar o lucro, somente para manterem na coleira os inocentes úteis, mas como todos sabem, eles adoram explorar o capitalismo.

Não há problema nenhum em apoiar o discurso do Estado de bem-estar social. Porém, em países desenvolvidos, a esquerda compreende a importância do mercado e da meritocracia para reduzir a desigualdade, e também reconhece as conquistas e planos feitos por outros governantes.

Maria do Rosário defende a cusparada de Zé de Abreu e Jean Wyllys

No Twiiter, a ex-ministra dos Direitos Humanos tenta justificar o erro cometido por Zé de Abreu e Jean Wyllys

13043670_957635884331924_2386922096124192653_n

Hícaro Teixeira – 25.04.2016

Em mais uma tentativa de justificar os erros da esquerda festiva, a deputada Maria do Rosário (PT-RS) tentou defender Zé de Abreu e Jean Wyllys no Twitter.“Quem reage a agressão Ñ planeja como agir, quem agride sim. Respeite e serás respeitado”.

Então quer dizer que mulher que apanha de estuprador deve respeitá-lo?

 

(VÍDEO) José de Abreu cospe em casal anti-Dilma

Hícaro Teixeira – 23.04.2016

O ator da Rede Globo, Zé de Abreu, cuspiu no rosto de um casal que questionou o apoio do artista ao governo Dilma, em um restaurante no Rio de Janeiro, na noite de sexta-feira (22). Durante a discussão, o ator gritou chamando o cidadão de “coxinha”.

Jose de Abreu
Ator assume comportamento agressivo


ASSISTA AO VÍDEO:

Presidente desmonta sua tese de que o impeachment seria golpe

size_810_16_9_dilma-rousseff-onu
Foto: REUTERS/Mike Segar

Hícaro Teixeira – 22.04.2016

Pela primeira vez na sua carreira, Dilma Rousseff não disse nenhuma bobagem. Seu discurso nesta sexta-feira (22) na ONU desmontou a tese do golpe, propagada pelo PT para desqualificar o impeachment. É bom que os petistas não vão repetir que nem um CD arranhado esse discurso. E outra: a imagem do país não será arranhada para os estrangeiros.

Dilma reconhece também sua derrota na votação do impeachment, um grande evento democrático. Inclusive, Dilma desmontou toda mentira publicada pelo jornal New York Times a seu favor.

Temer e o liberalismo

34a42c2e68b7ff90b5992c23d6778943ec12491a
Foto: Reprodução

Hícaro Teixeira – 20.04.2016

No Brasil, ainda não se ganha campanha presidencial com o discurso liberal. Não é toda a sociedade que tem discernimento de que um governo menor e um Estado que governe menos, faça mais pelo país.

Geralmente, as pessoas acham que um governo com um número maior de ministérios e com estatais nas mãos dos políticos, governará mais. E não é verdade. Esse discurso político de presidentes populistas contamina o Brasil desde Getúlio Vargas.

Michel Temer terá uma boa base governista no legislativo para fazer uma ampla reforma nos moldes do programa “Uma ponte para o futuro”, um plano de governo com viés liberal.

Ele classifica que o Estado brasileiro precisa cuidar da segurança, saúde, educação e entregar os demais setores à iniciativa privada. Sem contar que no documento do PMDB, ele reconhece que o país necessita de um ajuste fiscal e estrutural, reforma administrativa, resolver o rombo na previdência e tocar as privatizações.

Temer também costurou aliança com o PSDB e vem tentando levar o ministro da Fazenda da campanha de Aécio, o ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, para o seu governo.

Aécio Neves, do PSDB, partido de centro-esquerda, sabia que o Estado mínimo seria melhor para o país, mas para conseguir convencer o eleitor, não pode adotar esse discurso.  No caso de Temer, ele não precisa se preocupar tanto. Mas para isso ele precisará da colaboração do Congresso Nacional. Agora vai saber se nessa costura, os deputados não estejam exigindo estatais ou cargos na lua.

 

 

Bolsonaro entrará com ação contra Jean Wyllys no Conselho de Ética da Câmara

Jean Wyllys cuspiu no rosto do deputado durante a votação do processo de impeachment da Dilma. Bolsonaro representará contra o deputado por quebra de decoro

 

MontagemHicaro
Foto: Montagem/Reprodução

Hícaro Teixeira – 18.04.2016

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entrará, na tarde dessa segunda-feira (18),  com uma representação contra Jean Wyllys (PSOL-RJ) por quebra de decoro parlamentar, no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados . Wyllys cuspiu no rosto de Bolsonaro na noite de ontem, durante a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, no Plenário da Câmara.

“Uma cusparada não pode existir no parlamento. Respeito os outros e tenho direito a ser respeitado nas minhas ideias, palavras, votos e opiniões. Uma cusparada foge da normalidade”, declarou Bolsonaro.

Mesmo o ato sendo quebra de decoro, Jean Wyllys disse que repetiria. “Eu cuspiria na cara dele quantas vezes eu quisesse”.

Assista ao vídeo: